Portugal não é um país de «tolos»!

Esta é uma época de eleições para as presidenciais em Portugal. Somos chamados a ir a votos para escolher o próximo Presidente da República. 

Na nossa mão está o poder de mudar de uma vez por toda a situação de sermos governados por partidos políticos falidos há décadas, em que a corrupção, o caciquismo e o compadrio se vai arrastando no nosso país, porque, tudo ainda está para ser «apurado» e depois «apuradinho».

O Novo Banco, a TAP, o tal assessor de Ana Gomes, a vergonha da Casa Pia, a cobardia em despedir um determinado governante do TC pelo telefone, os «grandes » a fugir à justiça, expropriações à vista, etc…enquanto que a nós, nos vão dando «pão e circo…». 

Portugal não é um país de «tolos»!    

Foi um discurso épico o que ouvimos no passado domingo da parte de um dos candidatos presidenciais, digo, André Ventura, na manifestação contra a pedofilia e a podridão do sistema político. 
Tive o cuidado de ouvir atentamente o seu discurso no passado domingo na Praça do Município em Lisboa.

«Nós estabelecemos uma aliança com o povo português.A aliança de que nunca os desiludirmos e que…vergonha de nós se o fizermos.Vamos lutar com tudo o que temos para que esta mesma bandalheira contra a qual lutamos hoje, não fique definitivamente em Portugal.Ameaçam-nos com a extinção, ameaçam-nos com a prisão e ilegalização.Nós não somos como os outros e desta praça proclamamos que a nós ninguém nos mete medo porque amamos este país acima de qualquer coisa, ninguém…ninguém nos mete medo.Portugal, eu estou-vos a ouvir em cada canto deste país eu estou-vos a ouvir.Quando alguém ganha 200 € por mês eu estou-vos a ouvir.Quando alguém tem um familiar brutalmente agredido eu estou-vos a ouvir.Quando há polícias com processos disciplinares por nos defender eu estou-vos a ouvir.Quando há mães que os filhos vão estudar para o estranjeiro e já não voltam, eu estou-vos a ouvir.A todos os portugueses que foram para fora porque já não tinham condições neste país, eu estou-vos a ouvir e a todos aqueles que ainda acreditam neste país, eu estou-vos a ouvir também e por muito que se melindrem, por muito que nos humilhem e por muito que nos ataquem, podem ter a certeza de uma coisa é que até à última gota deste sangue, eu serei a vossa voz, a vossa luta e a vossa força…»

Emotivo, corajoso e bem aceite pelos presentes na manifestação de domingo, num acto de genuíno patriotismos, fez também referência aos ex. Combatentes do Ultramar, situação  essa que eu num dos meus artigos de opinião para o Voz Ibérica escrevi um texto simples cujo titulo era, «E os militares do Ultramar…!!! » 

Mas a prepósito do Ultramar…depois de ter sido vandalizado o Monumento Heróis do Ultramar em Coimbra por parte de um grupo de «putos «, o Bloco de Direita, propôs à C.M.Coimbra, num sinal de cívismo, limpar os «estragos » de tamanha barbaridade. Isso numa quinta-feira. Na sexta-feira o monumento foi sujeito a uma profunda limpeza, como resultado da proposta do BD…todavia, «ainda estava a cheirar a limpo», e com a agravante do monumento ainda se encontrar protegido por um gradeamento CMC, o mesmo já tinha sido vandalizado de novo. Sobre esta matéria o Voz Ibérica escreveu dois artigo como sinal de indignação para esta situação.

Por que razão tanto ódio aos nossos símbolos nacionais! Como também há nossa História e ao nosso passado. Porque razão os nossos governantes revelam uma tamanha indiferença às nossa raízes. Portugueses e portuguesas, não deixem que ninguém nos roube a nossa identidade!

O futuro de Portugal, o nosso e o dos nossos filhos e dos nossos netos está nas nossas mãos através do nosso voto na Direita. «A abstenção é um acto de cobardia política…» Sá Carneiro. Assembleia da República 1978.
Nas urnas diga Chega. Viva Portugal!

Davide Pereira. Finlândia.