HALLOWEEN! BRINCAR COM «COISAS » SÉRIAS.

Ano após ano, têm  lugar a celebração do “Halloween”, nome que deriva de «All Hallows’ Eve«, um termo que remete há véspera do “Dia de Todos os Santos «, celebrado no dia 1 de Novembro. «Hallow» é o termo antigo para «santo«, e «eve» é o mesmo que «véspera«.

Mais do que uma festa pagã, o Halloween, ou “Dia das Bruxas”, esconde uma raiz de significados que remetem a tudo o que é idolatria, rituais macabros e até mesmo de feitiçaria. Não é apenas brincar às bruxas, fantasmas e duendes, com abóboras, morangas e chocolates, mas sim uma festa satânica camuflada.

Neste sentido, ao analisarmos o Halloween, e confrontar o mesmo com a  Palavra de Deus, só podemos concluir que é impossível para o cristão sincero ver com bons olhos as tradições que envolvem essa festividade secular. Principalmente considerando o simbolismo macabro que há por  de trás desta celebração.

Tomemos por base o que diz a Bíblia: “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas; mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas” ( 1 Coríntios 6:12).

História

A origem do Halloween remete há mais de 3 mil anos, quando a Irlanda celebrava o chamado Samhain, uma homenagem ao “Rei dos mortos” e o início da festa que marcava o festival das colheitas. Durante essa festividade os Druidas ( magos celtas) acreditavam que nessa noite um portal espiritual era aberto e a janela que separava os mortos dos vivos desaparecia.

Eles acreditavam que com esse portal aberto as almas dos mortos regressavam numa visita aos lares, sendo recepcionados com comidas e doces que ficavam do lado  de fora das suas casas, afastando assim os espíritos maus. Também eram realizados rituais com sacrifícios de animais e sacrifícios humanos.

Em meados do século 8, com a popularidade desta festividade, o papa Gregório III teria mudado a data do Dia de Todos os Santos de 13 de Maio, data que remetia ao festival romano da celebração dos mortos, para o dia 1 de Novembro, data do Samhain. Esse ritual pagão acabou por se tornar popular até aos dias de hoje.

Bíblia

É evidente que a Bíblia condena qualquer prática de bruxaria, feitiçaria ou de idolatria,  Mas mesmo assim, existem pessoas que não veem maldade em participar com os seus filhos e netos nas festas do Halloween.

Ao contrário do que muitos pensam, essa festa não é apenas uma celebração cultural norte-americana, mas remete a rituais condenáveis pela Palavra de Deus, o que faz com que aqueles que seguem as orientações da Bíblia Sagrada sejam obrigados a refletir sobre suas práticas e costumes.

Quem celebra o Halloween, e se apresenta como cristão, seja evangélico ou católico, está a servir a dois senhores!!!  Sendo que um destes senhores é Satanás. Vejamos: “Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro” ( Mateus 6:24).

Além disso, temos na Bíblia Sagrada versículos que condenam alguns pontos que essa celebração traz consigo, como a banalização da maldade e dos símbolos religiosos satânicos. Vestir-se com roupas de bruxas, feiticeiros, duendes, magos, fantasiar-se de morto, caveira ou figuras que simbolizam o mal, não é agradável a Deus.

Como está escrito: “Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo!” (Isaías 5:20).

Essa celebração também tem como base a cultura de que os mortos podem voltar ao mundo dos vivos, mas a Palavra de Deus diz: “[…] aos homens está ordenado morrer uma só vez, vindo, depois disso o Juízo” ( Hebreus 9:27).

Deus também não se agrada de quem tenta se comunicar com os mortos. Ele diz em Sua Palavra: “Não permitam que se ache alguém entre vocês que faça encantamentos; que seja médium, consulte os espíritos ou consulte os mortos. O Senhor tem repugnância por quem pratica essas coisas” (Deuteronômio 18.11-12).

Pense nisto.

Davide Pereira. 

Deja una respuesta