A Imposição Obrigatória da Disciplina de Cidadania aos Nossos Filhos!!!

Davide Pereira. Finlândia.

«Aos pais pertence a prioridade do direito de escolher o género de educação a dar aos filhos». Declaração Universal dos Direitos Humanos, Artigo 26. alínea 3.
ESTÁ A IMPOR-SE UM PENSAMENTO ÚNICO.
Gradualmente têm sido cada vez mais os ataques à nossa consciência cristã. É sabido que a maioria de nós portugueses, embora não sejamos propriamente praticantes do catolicismo ou do protestantismos de Lutero, ainda nos pautamos pelos princípios judaico cristãos herdados dos nossos pais e avós.
Face ao facto de que em breve irá começar mais um ano lectivo para os nossos filhos, de novo somos confrontados com a Disciplina de Cidadania, onde consta a matéria da Igualdade dos Géneros. Também é um facto que a chamada Ideologia do Género, nunca foi tão forçada a entrar nas nossas casa e famílias, como nos dias de hoje e como sendo algo normal e natural.         
Esta e muitas outras situações relacionadas com a Disciplina Escolar em questão, levaram a que Pedro Passos Coelho, Cavaco Silva, D. Manuel Clemente, e José Maria Júdice e mais de 100 personalidades portuguesas, se juntassem num abaixo assinado contra as aulas OBRIGATÓRIAS de Educação para a Cidadania e Desenvolvimento.
Em entrevista à SIC, José Miguel Júdice explicou o que o levou a tomar esta posição. 
«O ponto aqui é o seguinte: acho que é essencial que em matéria que não são objecto de grande consenso haja a prudência de não esclarecer uma ideologia «, respondeu.
José Maria Júdice reconhece que a maioria dos tópicos no plano da disciplina não suscitam qualquer dúvida, enquanto outros são divisores. Sem rodeios, lançou-se sobre o tema da Igualdade do Género.
«Uma concepção que está subjacente é que o sexo masculino e feminino não são geneticamente claros «, referiu, acrescentando que para algumas famílias seria importante existir um PROGRAMA ALTERNATIVO. 
É da competência dos pais filtrarem a educação dos seus filhos, e não dos políticos, serem estes os agentes canalizadores que conduzam os filhos a uma vida de sucesso em todas as vertentes das suas vidas no futuro.  
MANIFESTO COM 500 SUBSCRITORES CONTRA ATAQUE À DISCIPLINA DE CIDADANIA.
O manifesto posto a circular na quinta-feira alega que a ética não pode ser sujeita a objeção de consciência e crítica os que defendem que a disciplina seja opcional.


Escreveu um determinado jornal que cerca de 500 pessoas já assinaram o documento, «Cidadania e desenvolvimento: a cidadania não é uma opção » que rejeita a possibilidade de invocar a objeção de consciência (dos pais ) para que os alunos do 2 e 3 ciclos não frequentem a disciplina «.  
Helena Ferro Gouveia, como se esta fosse uma «engenheira social «, também uma das autoras do manifesto afirmou, «É uma tomada de posição pública ao ataque a uma disciplina que é fundamental para a educação dos jovens e para a criação de uma sociedade melhor».
Este manifesto de cerca de 500 pessoas, surgiu depois de dois alunos de Famalicão não terem frequentado a disciplina durante dois anos, tendo o pai apresentado objeção de consciência e alegado que a área de estudo era da competências da FAMÍLIA e não da escola.  
Nos domínios da componente de Cidadania e Desenvolvimento, Grupo 1, lê-se que é o grupo dos temas obrigatórios para todos os níveis e ciclos de escolaridade  A IGUALDADE DE GÉNERO.  
Vejam a sutileza forçada das ideologias globalistas a tentarem introduzir-se no nosso quotidiano. E o que dizer de certos políticos que há muito já faliram na praça pública e que certamente por não terem amor aos netos continuam a tentar brilhar «nestas geringonças «.


«Ai dos que ao mal chamam bem e ao bem mal; dos que dizem que as trevas são luz e a luz trevas; dos que fazem do amargo doce e do doce amargo!…» Isaías 5:20.
Chega.
Pense nisto.
Davide Pereira.Finlândia.

Deja una respuesta